Quinta-feira, 23 de Agosto de 2007

5.000. Quem diria?


Olha, já são 5.000!!

Um brinde ao bonito número de visitantes deste blog, em menos de 4 meses de existência.
Obrigada a todos.
Já que brindamos com Verdi, que seja também com um bom Verdelho. E porque não um queijinho de Azeitão, para ajudar à festa?

Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 19:18
link do post
12 comentários:
De ana vidal a 25 de Agosto de 2007 às 10:48
Milord,
Sempre cavalheiro, sempre elegante!
A nobreza é outra loiça, não há dúvida. Obrigada.
De ana vidal a 25 de Agosto de 2007 às 10:46
Obrigada, Leonor. Nada que se compare à sua Curva da Estrada (que só agora descobri, estupidamente, mas já está nos meus links), e muito menos à sua Geração Rasca. Mas lá chegarei, talvez. Se houver engenho e arte, claro. E se o entusiasmo se mantiver por aqui.

Um beijo
De papalagui a 24 de Agosto de 2007 às 23:56
Parabéns! Que venham mais uns quantos cinco mil :-)
De Lord Broken Pottery a 24 de Agosto de 2007 às 20:15
Ana,
Todos os visitantes tiveram muito bom gosto e já foram brindados com a qualidade do sítio.
Beijão
De ana vidal a 24 de Agosto de 2007 às 16:24
James, espero que sim. Mas ainda estou na fase do entusiasmo.

Flora, hummmm, é o melhr queijo do mundo!

Giuseppe, nunca me esqueço dos amigos. Mesmo dos atrasados, o que não é o seu caso.
De Giuseppe a 24 de Agosto de 2007 às 14:19
Parabéns, Ana. Queira desculpar o pequeno atraso. E muito obrigado por se ter lembrado de mim.
De FL a 24 de Agosto de 2007 às 12:42
Ana,

O queijinho de Azeitão vinha mesmo a calhar;)

Beijocas
De james a 24 de Agosto de 2007 às 11:31
É apenas o começo!

Um abraço.
De ana vidal a 24 de Agosto de 2007 às 02:40
Obrigada, Madalena.
À sua, também!
De Madalena Lello a 24 de Agosto de 2007 às 00:06
Parabéns e bom festejo

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds