Sábado, 30 de Junho de 2007

Heróis


Receita para fazer um herói


Tome-se um homem,
feito de nada, como nós,
e em tamanho natural.
Embeba-se-lhe a carne,
lentamente,
duma certeza aguda, irracional,
intensa como o ódio ou como a fome.
Depois, perto do fim,
agite-se um pendão
e toque-se um clarim.

Serve-se morto.



Passam hoje 48 anos sobre a morte de Reinaldo Ferreira, um nome tão injustamente esquecido no nosso panorama literário.

Um único livro, póstumo (de título Poemas, cuja primeira edição foi lançada 1 ano após a sua morte), condensa toda a obra conhecida do poeta. Nas 3 edições que dele se fizeram estão incluídos textos analíticos de Eugénio Lisboa, José Régio e Guilherme de Melo, que lhe prestam a devida homenagem. Aqui fica o poema Receita para fazer um Herói, um dos meus preferidos.

Para lembrar um grande poeta.
Etiquetas: ,
publicado por Ana Vidal às 15:12
link do post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds