Sábado, 29 de Setembro de 2007

Fartar Vilanagem

"Adorei esta campanha", disse Marques Mendes. E ainda: "Se quiserem um líder para dividir em vez de unir, esse líder não sou eu», rematou.
Não vejo qual é o espanto da vitória de Menezes. Bate tudo certo, afinal: Somos um país de masoquistas, e lá que somos muito melhores a dividir do que a multiplicar, isso é um dado adquirido. São feitios...
Venha de lá então o eterno fartar vilanagem que todos conhecemos tão bem.
publicado por Ana Vidal às 01:59
link do post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds