Sábado, 10 de Novembro de 2007

CHI-LE-NOS


Existe uma embirração estranhíssima entre os presidentes da república portugueses e o povo do Chile: primeiro foi Jorge Sampaio, que chamou cubanos aos chilenos. Agora, Cavaco Silva chamou-lhes chineses!!!
Meus senhores, soletrem comigo, devagarinho:
C-H-I-L-E-N-O-S.
Vá, outra vez. Agora com sílabas:
CHI-LE-NOS.
Isso mesmo. Pronto. Viram que não é difícil?

Etiquetas: ,
publicado por Ana Vidal às 01:04
link do post
7 comentários:
De ana vidal a 13 de Novembro de 2007 às 00:48
Pois, é caso para nos deixar a todos encavacados...
De Mário a 13 de Novembro de 2007 às 00:03
Talvez por razões diplomáticas, Cavaco, no seu discurso no dia da poesia sobre o mar, teceu loas à universalidade da língua portuguesa, e à riqueza da "língua chilena". Chilena? Não falam no Chile castelhano? Mesmo com sotaque e neologismos?
Mais um cavaco para a fogueira!
De ana vidal a 10 de Novembro de 2007 às 11:16
LOL!
Facílimo, não é?
É só tirar-lhes os olhos em bico e o copo de cuba libre da mão...
De Ricardo Fonseca a 10 de Novembro de 2007 às 10:46
É fácil...

CHI-NE-NOS

não...

CHI-LE-SES

ainda não...

CHI-LE-NUS...

é com "o"...

CHI-LE-NOS...

Bem disse que era fácil. : )
De ana vidal a 10 de Novembro de 2007 às 10:12
Bem vinda, Helena.
Aproveitei para conhecer-te (3 blogs, que fôlego!!) e também gostei muito do que vi e li. Os links já estão lá em baixo, dando conta dos teus diversos talentos. Parabéns!
Um beijo
De hfm a 10 de Novembro de 2007 às 09:44
É assim mesmo!
Gostei muito do que aqui encontrei. Voltarei seguramente. Gostei da forma como tratas a palavra.
De Mad a 10 de Novembro de 2007 às 01:35
LOL!!!

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds