Segunda-feira, 13 de Agosto de 2007

E há dias assado


E há dias assado.

Felizmente, a maior parte.






Etiquetas: ,
publicado por Ana Vidal às 16:22
link do post
9 comentários:
De ana vidal a 15 de Agosto de 2007 às 03:27
Booooooooooooas! Diverte-te.

bjs
ana
De rv a 15 de Agosto de 2007 às 00:05
E quem é que não gosta ? A ser verdade ter sido só (!?) um golpe de protagonismo bem feito, então temos também Atriz. Mas está bem, assim vou mais descansada de férias.
Féééééééééééérias!!!!

Inté.
Beijos
Rosarinho
De ana vidal a 14 de Agosto de 2007 às 00:08
Nada, nada, meninas. Tudo muito bem por aqui, não se preocupem. Tenho é que fazer estas cenas mais vezes, depois todos me querem dar colo e eu gosto disso.
De Mad a 13 de Agosto de 2007 às 22:01
O que é que se passou? Que tempestades foram essas? Quantos mortos, quantos feridos?

......

Olá, prima.
De rv a 13 de Agosto de 2007 às 21:43
Uff, que susto! caiu-te alguma estrela cadente das de ontem na cabeça? Espero que, ao menos, tenhas aproveitado para pedir um desejo!
Espera aí... Isso que eu vejo brilhar aí no teu cabelo, deve ser um resto da poeira que a estrela deixou. É isso: às vezes, a bonança depois da tempestade manifesta-se em coisas pequeninas.
Bem-vinda aos dias sem ser assim!

Beijo, prima. E não te esqueças: o tal brilho não te fica nada mal.

Rosarinho
De ana vidal a 13 de Agosto de 2007 às 18:50
Pois, Cage, és um básico... eu já tinha reparado.
De Cage Limiano a 13 de Agosto de 2007 às 17:58
Chiiii, gente fina é outra coisa (presumo, porque, pobre de mim, como não sou fino, não sei o que é "Siroco" e, muito menos, "Alísio"...).
De ana vidal a 13 de Agosto de 2007 às 17:01
É um lote que mandei fazer, mistura de Siroco e de Alísio. Um luxo de sabor.
De Cage Limiano a 13 de Agosto de 2007 às 16:49
Fico, ficamos todos muito mais descansados, apre! De que marca é esse cafézinho?

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds