Terça-feira, 30 de Outubro de 2007

Lobos com pele de cordeiro


O presidente Sarcozy já condenou as actividades de uma ONG francesa denominada Arca de Zoé, pela tentativa de rapto de 103 crianças africanas.
Originárias da fronteira entre o Chade e o Sudão, estas crianças são, supostamente, órfãs de guerra. Como se essa terrível circunstância não lhes bastasse já, estes lobos disfarçados de cordeiros pretendiam traficá-las para adopção na Europa, violando todas as regras internacionais de adopção. Já tinham, até, sacado milhares de euros a centenas de famílias europeias, com a promessa de entregar-lhes os novos "filhos" tão ansiados. Parece que as autoridades do Chade descobriram a tempo a tramoia e prenderam todos os responsáveis da Arca de Zoé. A Unicef também já condenou a pretensa ONG.
Tristes tempos estes em que vivemos, em que até o bom nome das organizações de solariedade social é posto em causa. Tristes tempos, em que há quem some, sem um remorso, a extrema desgraça do desenraizamento à da orfandade, para satisfação dos bolsos de uns e à custa das frustrações de outros. Tristíssimos tempos, em que os países desfavorecidos se transformam em supermercados de crianças.

publicado por Ana Vidal às 08:57
link do post
4 comentários:
De ana vidal a 31 de Outubro de 2007 às 17:48
Verdade, Samuel. Imaginação não nos falta. O pior é quando escorregamos e a usamos mal, não é?

Bjs
De samuel a 31 de Outubro de 2007 às 16:31
O ser humano tem um espírito ilimitado, só que por vezes vai nestas direcções...
De ana vidal a 31 de Outubro de 2007 às 09:21
É verdade, capitão-mor. Às vezes também tenho vergonha de pertencer ao tal "mundo desenvolvido".
De Capitão-Mor a 30 de Outubro de 2007 às 17:44
Realmente, se formos analisar as acções das organizações humanitárias e da indústria farmaceutica em África, temos que nos envergonhar do "nosso mundo desenvolvido"!

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds