Sábado, 17 de Novembro de 2007

Campista ilustre

Preocupa-me o dilema de protocolo do MNE com o local onde instalar a tenda de Kadhafi, já que o homem recusa dormir debaixo de telha. Por isso, aqui fica o meu humilde contributo para resolver o problema que tanto atormenta a Missão da Presidência da UE: uma lista dos parques de campismo do distrito de Lisboa. Todos com águas correntes, quentes e frias. Até junto os números de telefone para uma reserva prévia, não vá dar-se o caso de não haver vaga. Se nenhum destes servir, talvez o INATEL. Pronto, pronto, não me agradeçam. Temos que ser uns para os outros.

 
Alenquer
Alenquer Camping
263 733 224
 
Cascais
Guincho (Orbitur)
214 857 019
 
Ericeira
Mil Reguengos (Parque Municipal)
261 862 513
 
Lisboa
Lisboa Camping
217 623 100
 
Lourinhã
Areia Branca (Parque Municipal)
261 412 199
 
Mafra
Sobreiro
261 815 525
 
Sintra (Colares)
Praia Grande
219 290 581
 
Vila Franca de Xira
Vila Franca de Xira
263 275 258
publicado por Ana Vidal às 23:31
link do post
7 comentários:
De av a 20 de Novembro de 2007 às 00:46
Pois foi, esqueci-me desse... E tão apropriado à ocasião, com banhos-surpresa e tudo!
De JG a 19 de Novembro de 2007 às 23:49
Esqueceste-te do parque da Costa da Caparica, aquele que "tem que não te seguras". Como vem aí o mau tempo pode ser que venha uma onda e o leve de volta!!

Só tu (rsssss e bjjj)
De av a 19 de Novembro de 2007 às 23:26
Bom, já vi que ninguém quer o homem. Não me importo de deixá-lo acampar no meu quintal, desde que depois deixe cá os tapetes da tenda.
De RAA a 19 de Novembro de 2007 às 22:25
Em qualquer lado, menos no Guincho!
De av a 18 de Novembro de 2007 às 13:33
Mad,
Aque que ele não se importaria muito.

Leonor,
Pois é, tens razão. Há que distribuir o mal pelas aldeias!
De leonor a 18 de Novembro de 2007 às 12:18
lol
Não, Mafra não! Já cá tivemos o Putin ;-)
De Mad a 18 de Novembro de 2007 às 00:56
O melhor é pô-lo no Parque Eduardo VII... ou em Monsanto, que fica bem acompanhado.

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds