Domingo, 27 de Maio de 2007

Explicações ligeiramente fedorentas



Como não sou preguiçosa e não gosto de ser acusada de fazer julgamentos precipitados, fiz os trabalhos de casa e fui à procura de explicações sobre o tema do meu último post - o suposto plágio dos Gatos.

Encontrei estas, no "António Maria" (considero-as as mais relevantes de quantas descobri), que aqui reporto por dever de justiça.

Mas não fiquei inteiramente convencida, nem satisfeita. Ricardo Araújo Pereira safou-se bem - todos sabemos como é inteligente - mas, justificando-se com a música tradicional inglesa Three Blind Mice* que deu origem à versão do próprio Claude François (remetendo para este, também, a responsabilidade do plágio, caso o houvesse), esqueceu-se de que não é só de música que se trata. "Pequenos pormenores" como coreogafia, planos de realização do clip, guarda-roupa, etc., são iguais aos de Claude François e não são abrangidos pela explicação aplicada à música. Além disso, o truque da adaptação musical para não pagar direitos de autor é, no mínimo, feio. Como autora, sinto-me no dever de denunciá-lo. Os Gatos também são autores, talvez um dia sintam "no pelo" a mesma sensação de injustiça.

Enfim, achei as explicações ligeiramente fedorentas, if you know what I mean. E mantenho que os Gatos não precisavam disto. Estão no princípio de carreira e considero-os brilhantes em termos de humor. Não podem começar já a ser preguiçosos...

*Atenção, gatos: nem todos os ratos são cegos, nem surdos...

Etiquetas: ,
publicado por Ana Vidal às 11:30
link do post
5 comentários:
De João Paulo Cardoso a 28 de Maio de 2007 às 19:54
A sua tese foi bem defendida e acabo por concordar com quase tudo.
Fim de polémica.

Vamos esperar que o Miguel, o Zé Diogo, o Tiago e o Ricardo façam melhor. Sem recorrer a facilitismos.

Beijos.
De AV a 28 de Maio de 2007 às 18:18
JPC,

Concordo que, neste país, nao se pode ter sucesso sem haver logo uma legião de invejosos prontos a morder os calcanhares de quem o atingiu. E também as idolatrias são perigosas: primeiro o Herman, e agora os Gatos, sofreram de uma pressão exagerada por se tornarem "os únicos donos" do humor em Portugal. Mas também tiveram o reverso da medalha: a fama, e o inerente conforto financeiro que ela traz.

É claro que também uso, como todos os blogueiros, imagens e música de outros sem autorização (ainda não descobri a maneira de acoplar às imagens a fonte de onde as tirei, mas isso é nabice de novata e lá chegarei, espero). Mas não é o mesmo, convenhamos: os blogs são um prazer gratuito, não ganhamos dinheiro com eles nem fazemos profissão disto. E estou à vontade para dizê-lo porque, quando se trata de assuntos profissionais, não sou desleixada: recentemente organizei uma antologia de poemas e TODOS os autores foram consultados para autorização (nem queira saber o trabalhão que me deu!) e receberam os seus direitos através da SPA.

Pronto, tenho dito. E não deixei de gostar dos Gatos por causa disto. Acho só que não é lá muito bonito terem-se "esquecido" de referir a fonte, num genérico que passou a ser deles e pelo qual receberão direitos de autor. Além de que foi de uma enorme ingenuidade esperar que passasse despercebido.
Digo, pela 3ª vez, que eles não precisavam disto.

Bjs
De João Paulo Cardoso a 28 de Maio de 2007 às 17:52
Em relação aos "Gato", acho que aconteceu o inevitável: Foram demasiado tempo unanimidade num país invejoso.

Num instante eleva-se dois pares de humoristas à condição de ídolos nacionais, depois gasta-se o resto do tempo à espera que caiam do pedestal, nem que para isso seja necessário um abanãozinho ou outro.

A questão dos direitos autorais é complexa.

A Ana Vidal não pediu autorização à Hanna-Barbera para utilizar o Tom and Jerry no seu blog, pois não?
Nem o António Maria tem avença com o You Tube...

Na internet, copiamo-nos uns aos outros porque dá imenso jeito, e longe, bem longe estamos da regulamentação do sector.

Hoje deu-me para a polémica...

E afinal de contas, os "Gato" já tiveram melhores dias. As férias deles estão à porta, pode ser que a coisa melhore.

Beijos.
De Anónimo a 27 de Maio de 2007 às 23:01
ah, ah... isto não é para todos, só para os craques como eu! Pede-me MUITO e eu ensino-te a pôr no teu blog as mariquices.
De Mad a 27 de Maio de 2007 às 22:57
O que é esta mariquice do novo counter que eu não tenho e da caixa de mensagens?

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

Rosa dos Ventos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds