Quarta-feira, 12 de Março de 2008

É Natal, é Natal, lá lá lá...


Natal é quando um homem quiser, não é? Pois hoje foi Natal, para mim: recebi presentes de duas amigas muito queridas, completamente inesperados (e talvez imerecidos). Ainda estou comovida com eles, e tenho muito para deleitar-me com esta sorte que hoje me tocou à porta. Querem ver? Roam-se de inveja...
Da Mãe Natal Sofia - Uma longa carta muito bem escrita, numa caligrafia legível mas cheia de personalidade, em papel escolhido com capricho, rico de textura e bom gosto. Aqueceu-me a alma e trouxe-me de volta o prazer longínquo de trocar cartas verdadeiras, daquelas que chegam pelo correio, à moda antiga. Não revelo o conteúdo, porque é privado, mas digo-vos só que ainda estou com um sorriso depois de lê-la.
De Mamãe Noel Meggy - Uma caixa cheia de surpresas, desvendadas com o vagar e a volúpia que merece tudo o que é escolhido para nós, com amor e exclusividade. Cada uma delas, uma delícia. Ora vejam: Um livro de crónicas de Fabia Vitiello (Oba! Obrigada também a você, Fal, pela dedicatória cheia de sensibilidade. "Crônicas de Quase Amor" será a minha próxima leitura); um quadro feito com folhas e frutos vermelhos, artesanal, que já está pendurado na minha cozinha e ficou liiiiiindo!; um colar feito de sementes coloridas, outra peça do rico artesanato do Pará, de um gosto incrível (um must para o Verão!); um íman para o meu frigorífico, lembrando tesouros gastronómicos e cheirinhos do Brasil; e, last but not least, um cd da minha amada Maria Bethânia, ao vivo - Diamante Verdadeiro (alguém duvida?). Tudo isto para mim, Meg? Amiga, como vou eu retribuir tanto carinho atravessando o Atlântico?
Eu não digo que tenho os melhores amigos do mundo?
Etiquetas:
publicado por Ana Vidal às 19:17
link do post
4 comentários:
De av a 14 de Março de 2008 às 02:17
Obrigada pelo postal, querido Réprobo. Já lá fui espreitar e agradecer (enfim, não é bem um agradecimento, é mais uma queixa...)
Um beijinho
De O Réprobo a 13 de Março de 2008 às 16:15
Os Amigos são o melhor neste mundo cão e das poucas coisas que o resgatam. Como sou... amiguinho, preparei um postal de desagravo à Maçã, que tão querida é à Ana.
Beijinho
De av a 13 de Março de 2008 às 13:20
É verdade, o postal turco!! Mas juro que ele ainda por aí, dentro de uma carteira qualquer...
beijinhos
De Sofia a 13 de Março de 2008 às 10:24
Então, o sorriso mantém-se?

Tu merecias, minha querida! E percebeste a caligrafia? Bondade tua. És mesmo minha amiga!

Beijos miúda e atende o telefone que eu tenho novidades fresquinhas, se as enviar por carta passam a velhinhas!

p.s. Ainda aguardo o postal turco! ;)

Comentar post

brisas, nortadas e furacões, por


Ana Vidal
Pedro Silveira Botelho
Manuel Fragoso de Almeida
Marie Tourvel
Rita Ferro
João Paulo Cardoso
Luísa
João de Bragança

palavras ao vento


portadovento@sapo.pt

aragens


“Não sabendo que era impossível, foi lá e fez."

(Jean Cocteau)

portas da casa


Violinos no Telhado
Pastéis de Nada
As Letras da Sopa
O Eldorado
Nocturno
Delito de Opinião
Adeus, até ao meu regresso

Ventos recentes

Até sempre

Expresso do Oriente (3)

Expresso do Oriente (2)

Expresso do Oriente (1)

Vou ali...

Adivinhe quem foi jantar?

Intervalo

Semibreves

Pocket Classic (A Educaçã...

Coentros e rabanetes

Adivinhe quem vem jantar?

Moleskine

Lapsus Linguae

Semibreves

Sou sincera

favoritos

O triunfo dos porcos

Livros



Seda e Aço


A Poesia é para comer


Gente do Sul

E tudo o vento levou

Perfil


ver perfil

. 16 seguidores

Technorati Profile

Add to Technorati Favorites

Ventos do mundo

Ventos de Passagem


visitantes online

Subscrever feeds